Dolphin Blue foi lançado em 2003 para a placa arcade Atomiswave. Dolphin Blue é um jogo de ação side-scrolling desenvolvido e publicado pela Sammy exclusivamente no Japão. Nele podemos controlar os personagens Erio, um traficante de armas que está sempre atrás de aventuras, ou Anne, uma jovem soldada do exército real, ambos contando com seus fiéis parceiros golfinhos.

Por usar a placa de arcade Atomiswave ( que é basicamente o hardware do Dreamcast adaptado para arcade) o jogo foi facilmente portado para o querido e último console da Sega no final de 2020. Antes disso o jogo era exclusivo dos Arcades.

Como já é de se esperar em jogos desse gênero, a dificuldade é elevada e com certeza vai consumir diversas ‘fichas’ dos jogadores que tentarem completa-lo. Entretanto, por ser um jogo relativamente curto a experiencia é prazerosa. Graficamente o jogo conta com cenários em 3D porém todos os personagens são em 2D, dando um boa impressão ao olharmos o jogo nos dias atuais. A musica do jogo também ajuda a recriar a tensão das batalhas.


Jogabilidade

Com controles e cenários que lembram Metal Slug ou Contra, Dolphin Blue não tem medo em utilizar a formula que consagrou os clássicos em que é baseado: devemos pegar novas armas e abusar dos especiais se quisermos ter alguma chance contra os inimigos. O jogo é divido em 5 fases com 3 cenários cada, sendo sempre uma parte a pé, uma parte sob a água, enquanto estamos nas costas de nosso golfinho e outra embaixo d’água.

A jogabilidade é semelhante à série Metal Slug, com armas disparando em oito direções. No entanto, os jogadores podem usar seu golfinho para lançar ataques especiais importantes. As etapas acontecem tanto em terra quanto embaixo d'água. O jogo também tem menos segmentos de plataforma do que muitos outros jogos "run'n gunners" e pode ser jogado sozinho ou com um amigo.


Sinopse
A história do jogo não poderia ser mais clichê: em um futuro distante, todo o planeta foi tomado pela água e as pessoas que tiveram a sorte de sobreviver reconstruíram a sociedade aproveitando as estruturas submersas, dando origem ao mundo de “Aquadia”. Nesse mundo duas facções (Royal Army e Evil Empire) lutam pelos últimos pedaços de terra seca existente. No meio de toda essa confusão o Evil Empire captura a princesa e líder do Royal Army, transformando o jogo em mais um ‘donzela em apuros’. Porém, é sabido que a história aqui serve apenas como pano de fundo para o principal atrativo do jogo que é sua mecânica.


Gameplay